fbpx

Cuidado com o vírus Bolware para evitar ser vítima do golpe do boleto

O bolware é um golpe antigo da internet, mas ainda continua fazendo milhares de vítimas no Brasil inteiro. O bolware é um vírus que adultera os boletos bancários diretamente no computador do usuário, desviando os valores pagos para a conta dos criminosos. Nos últimos dias, uma empresa localizada no bairro Caravelas, em Ipatinga, foi vítima desse golpe e teve um prejuízo de mais de R$ 500.

Como o bolware age?
A infecção do computador da vítima com o vírus do bolware pode se dar por várias formas: Clicando em links e anexos por meio de e-mails falsos; Clicando em links em sites contaminados; Baixando softwares piratas contaminados; Por inserção direta do vírus através de invasões na rede.

Assim que o computador é infectado, o vírus fica furtivamente observando a atividade do usuário no navegador da internet. Quando detecta que o usuário gera um boleto por meio do navegador, o vírus altera os dados da linha digitável (aquela que fica no topo do boleto), trocando a conta original do cedente pela conta dos criminosos.

Com isso, a vítima paga o boleto, mas o valor jamais chegará ao emitente do boleto, pois foi desviado para a conta dos hackers.

Como evitar o bolware?
As dicas de como evitar o bolware em geral são as mesmas que sempre damos para os casos de segurança digital em geral, mas vale destacar alguns pontos extras:

– Mantenha na empresa um antivírus pago e sistemas operacionais originais e sempre atualizados.
– Evite abrir links de terceiros e anexos de e-mails de fontes desconhecidas.
– Evite o mesmo vindo de mensageiros como linkedin e Skype.
– Observe todas as informações do boleto.
– Dados sobre as instituições financeiras podem ser consultados por meio do site Busca da FEBRABAN (www.buscabanco.org.br).
– O boleto deve ter nome e logomarca do banco emissor coincidentes.
– O número do banco e os três primeiros caracteres da linha digitável devem ser iguais, pois esses números são destinados à identificação do banco.
– Independentemente do banco emissor do boleto, a linha digitável deve conter a agência, o código cedente e, ao final, o valor do documento.
– Se possível mantenha um computador na empresa fora da rede, apenas para fazer pagamentos.
– Na dúvida, ligue para o emissor do boleto e confirme as informações por voz, não deixe margem para erros.

(Com informações: Site Unimake)