fbpx

Ipatinga adere ao Minas Consciente e comércio terá nova flexibilização

A Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ipatinga informam que o Comitê Gestor de Crise deliberou, nesta terça-feira (1º), a adesão ao programa Minas Consciente, no qual o município está classificado como Onda Amarela. Com isso, nos próximos dias, poderão voltar a funcionar os clubes de lazer, cursinhos de idiomas, escolinhas de futebol e o Parque Ipanema com os seus quiosques.

A pedido das entidades empresariais, o comitê também aprovou o funcionamento do comércio não essencial aos sábados, incluindo os centros de compras (shoppings), a partir do dia 12 deste mês, sendo que o horário deverá ser das 9h às 13h. Um decreto com as novas regras deverá ser publicado nas próximas horas.

Para o presidente da Aciapi, Cláudio Zambaldi, essas novas medidas atendidas pelo comitê, que envolvem a reabertura de segmentos que estavam até então fechados, representam uma vitória. “Desde que o comércio foi fechado pela primeira vez, em março deste ano, as entidades sempre buscaram trabalhar, junto ao comitê, a saúde física alinhada a saúde financeira. Em nenhum momento concordamos em estar com o comércio totalmente fechado, porque entendemos que nós, empresários, somos formadores de opinião, no que tange a criação de uma nova cultura consciente, como uso de máscara, álcool em gel e higienização das mãos”, afirmou.

Cláudio Zambaldi também ressaltou que no decorrer deste ano, a sociedade tem se tornando mais responsável, respeitando as normas sanitárias exigidas pelos órgãos de saúde. “A comunidade aderiu a essa nova realidade. Com isso, estamos colhendo todos os frutos disso agora, tendo condições de apoiar, dessa vez, o município a aderir ao Minas Consciente, já que automaticamente estaremos entrando na Onda Amarela, que prevê uma maior flexibilização”, destacou.

Conforme o presidente da CDL de Ipatinga, Amaury Gonçalves, para o município se manter na Onda Amarela ou então para avançar para a Onda Verde, todos devem contribuir. “Os empresários têm que continuar unidos, cobrando dos seus clientes e funcionários o uso de álcool em gel, higienização dos balcões e controle do limite de pessoas dentro do estabelecimento. Se o município retroagir e for classificado como Onda Vermelha, nós teremos que fechar o comércio por 28 dias interruptamente. Portanto, temos que tomar cuidado redobrado, porque agora as rédeas passam a ser dirigidas pelo Estado. Contamos com o nosso associado e empresário, que continuem unidos nessa luta”, pontuou.