Número de pequenos negócios cresceu 5% em Minas

No acumulado do ano até maio, 186.278 novos pequenos negócios foram abertos em Minas Gerais. O montante representa 96,8% do total no período (192.420). Na comparação com igual período de 2023, o acréscimo foi de 5%. Na ocasião, ingressaram no mercado 177.396 empresas no Estado. Os dados foram divulgados na terça-feira (25) pelo Sebrae Minas.

“Minas Gerais ocupou o segundo lugar no País em novos negócios”, destaca a assistente de dados do Sebrae Minas, Barbara Pimenta. A primeira posição foi de São Paulo. Ela explica que vários fatores interferem na decisão de abrir um negócio, entre eles, o ambiente econômico favorável, como o crescimento do emprego no Estado.  “O cenário econômico positivo deixa o empreendedor mais confiante para ingressar no mercado”, observa.

Os últimos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, mostram o bom cenário para o mercado de trabalho em Minas Gerais, que encerrou abril com saldo positivo de 25,9 mil vagas de trabalho com carteira assinada. Foi a segunda melhor performance para abril, desde 2020, quando a nova série histórica do Caged começou.

Barbara Pimenta acrescenta que, embora a taxa de juros esteja menor neste ano na comparação com 2023, o patamar ainda não está dentro do ideal para que as pequenas empresas possam ter acesso ao crédito.

 Neste mês, por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), manteve a taxa Selic, juros básicos da economia, em 10,5% ao ano. Em 2023, a Selic encerrou o ano em 11,75% ao ano.

Ainda conforme o levantamento do Sebrae Minas, o setor de serviços se destaca no total de abertura de empresas no intervalo de janeiro a maio deste ano, com 55,6% do total (103.635 novas empresas). Na sequência vem o comércio (22,9%), a indústria (12,2%), a construção (7,9%) e a agropecuária (1,4%).

Destaques das cidades de Minas conforme o Sebrae Minas

Considerando os municípios mineiros, Belo Horizonte liderou com a abertura de 34.153 novos pequenos negócios, seguido por Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 10.936 empreendimentos. A terceira posição foi ocupada por Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), com 7.871 pequenos negócios.

Em seguida está um município da Zona da Mata, Juiz de Fora, com 5.673 empreendimentos. Também na RMBH, se destaca Betim, com 4.591 novos negócios. No Norte de Minas, o destaque foi Montes Claros, com 4.051 empreendimentos.

Setores – Ainda de acordo com o levantamento do Sebrae Minas, entre os microempreendedores individuais (MEIs), a atividade ligada ao serviço de promoção de vendas liderou a abertura entre janeiro e maio de 2024, com 8.507 novos empreendimentos, seguido por cabeleireiros, manicure e pedicure (6.843). A terceira posição foi ocupada pelo comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (6.555), seguida por obras de alvenaria (6.457).

Na análise das micro e pequenas empresas (MPEs), os serviços combinados de escritório e apoio administrativo estiveram na frente com 1.619 novos empreendimentos registrados. Em seguida, aparecem a atividade médica ambulatorial restrita a consultas, com 1.474 novos negócios, e serviços de engenharia, com 1.163 empresas.

Neste ano, o mês que apresentou o maior número de pequenas empresas abertas foi janeiro, contabilizando 39.612 novos pequenos negócios no Estado. As informações divulgadas pelo Sebrae Minas foram extraídas da base de dados abertos do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da Receita Federal do Brasil. Nesse levantamento, são consideradas apenas aquelas pequenas empresas formalizadas junto ao Governo até 31 de maio deste ano.

Empresas abertas em maio de acordo com dados do Sebrae Minas

Conforme o Sebrae Minas, em maio deste ano foram abertas 36.528 empresas, 1% a mais em relação ao mês de maio de 2023. Entre os microempreendedores individuais (MEIs), a atividade ligada ao serviço de promoção de vendas liderou a abertura no quinto mês de 2024, com 1.682 novos empreendimentos, seguido por cabeleireiros, manicure e pedicure (1.400).

Outro destaque do mês foram os MEIs com atuação no segmento de comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (1.279) e obras de alvenaria (1.267).

Já entre as micro e pequenas empresas (MPEs), os serviços combinados de escritório e apoio administrativo estiveram na frente com 363 novos empreendimentos registrados. Em seguida, aparecem a atividade médica ambulatorial restrita a consultas, com 267 novos negócios, e serviços de engenharia, com 214 empresas.

Com informações do Diário do Comércio e FCDL-MG

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil