fbpx

Aciapi e CDL de Ipatinga comemoram reabertura de shopping, bares, lanchonetes e restaurantes

Os centros de compras (shopping), bares, lanchonetes e restaurantes poderão abrir as portas a partir desta quarta-feira (19), em Ipatinga. Uma nova avaliação de documentos apresentados ao Estado de Minas Gerais permitiu uma flexibilização maior do funcionamento desses segmentos, algo que já era solicitado há meses pela Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi) e pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ipatinga. 

Conforme a administração municipal, o Shopping do Vale do Aço voltará a funcionar das 12h às 21h, de segunda-feira a sexta-feira. Já as lanchonetes poderão abrir as portas das 6h às 21h, e os bares e restaurantes estão permitidos a funcionarem das 10h às 23h.

Já em relação às feiras livres, no sábado, será retomada a do bairro Veneza II. Por enquanto, não será retomada a feira no bairro Canaã, devido a possibilidade maior de aglomeração de pessoas naquele local.   

Para o presidente da Aciapi, Cláudio Zambaldi, essa reabertura dos segmentos ao público é motivo de comemoração, já que nas reuniões do Comitê Gestor de Crise as entidades empresariais sempre defendiam a volta do funcionamento de toda cadeia produtiva, dentre eles, shopping, bares, restaurantes e lanchonetes. “Há cerca de cinco meses que esses estabelecimentos estão sem poder receber clientes, sendo que estão preparados e adequados da melhor maneira possível para atender com segurança. Além disso, tenho certeza que esses segmentos continuarão obedecendo as normas sanitárias dos órgãos de saúde, assim como muitas lojas e prestadores de serviços já fazem dentro dos seus estabelecimentos. Portanto, fico satisfeito que finalmente conseguimos obter essa vitória e esperamos que nos próximos dias, os segmentos que ainda estão fechados, como clubes, salões de festas, eventos, escolas e dentre outros também possam voltar a funcionar o quanto antes”, afirmou.     

Cláudio Zambaldi também ressaltou que as entidades empresariais sempre foram contra a adesão do município ao programa Minas Consciente, por entenderem que seria prejudicial para Ipatinga. “Se o município tivesse feito a adesão, todo o comércio não essencial estaria de portas fechadas hoje, porque seríamos classificados como Onda Vermelha, devido aos números epidemiológicos. Dessa forma, entendemos que foi muito importante a campanha realizada pelas entidades empresariais para Ipatinga não aderir ao Minas Consciente, o que possibilitou que todos nós fossemos beneficiados agora com essa decisão do governo municipal”, salientou.

Já o presidente da CDL de Ipatinga, Amaury Gonçalves, destacou que esses segmentos não tinham mais condições de permanecerem impedidos de receber clientes, o que foi motivo de falência para algumas empresas nesses últimos meses. “Todo o comércio precisa funcionar. Não podemos mais deixar de trabalhar. Vamos enfrentar tempos difíceis daqui para frente, mas tenho a convicção de que com muito trabalho, esforço e dedicação, conseguiremos superar esses desafios, mas para isso, o comércio não pode mais ficar de portas fechadas”, afirmou. 

Fatores
A reabertura do shopping, bares, restaurantes e lanchonetes foi possível por dois fatores: o pedido do município para que a situação epidemiológica de Ipatinga seja analisada pelo governo estadual de forma individualizada e a recente publicação da Deliberação 78, que desobrigou os municípios ao cumprimento da Deliberação 17 ou aderir ao Minas Consciente, enquanto alterações são aguardadas por parte dos municípios referente a decisões do Governo do Estado.  

Com isso, os municípios podem voltar a funcionar sendo regidos pelos próprios decretos, neste caso, Ipatinga vai seguir o Decreto Municipal 9.312/2020, de 28 de abril, que autoriza o funcionamento dos estabelecimentos que ainda estavam fechados.